O que é a Quimioterapia?

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

O que é a Quimioterapia?

Mensagem  Madalena em Dom 05 Jul 2009, 14:25

O início do uso da Quimioterapia anti-tumoral remonta aos finais da segunda Guerra Mundial com os primeiros ensaios de tratamento utilizando agentes alquilantes contra a doença de Hodgkin.

Neste meio século de desenvolvimento terapêutico, ficaram assentes seguintes pontos:

- A quimioterapia é actualmente capaz de curar um certo número de tumores malignos, utilizada isoladamente ou em complemento com a cirurgia;
- A quimioterapia contribui para a cura de certo um número de neoplasias em associação com a radioterapia e a cirurgia, quando a detecção da doença foi precoce;
- A quimioterapia é um instrumento importante no tratamento paliativo de doentes com doenças neoplásicas incuráveis.

Nenhum dos medicamentos anti-tumorais actualmente utilizados em clínica humana é activo especificamente sobre as células tumorais. A sua actividade exerce-se geralmente sobre todas as células do organismo, o que explica a toxicidade geral destes medicamentos.

Quimioterapia significa terapia com químicos (medicamentos), alguns deles designados por drogas citotóxicas (cito = célula, tóxica = veneno). São aplicadas para destruir ou controlar as células cancerígenas.

A quimioterapia pode ainda ser aplicada quando se sabe que há uma probabilidade de células cancerígenas estarem presentes no corpo, mesmo que estas não sejam detectáveis.



Como funciona a quimioterapia?


As drogas entram na circulação sanguínea, atingindo deste modo, todas as partes do organismo. A quimioterapia pode ser aplicada por via oral ou intravenosa. Ocasionalmente as drogas podem ser injectadas no interior do músculo ou por baixo da pele.

Estas drogas destroem as células cancerígenas ou então lesionam-nas de tal forma que não se conseguem dividir mais. Por isso, as células normais que se estão a desenvolver e a dividir podem também ser afectadas. A maioria dos efeitos sobre as células saudáveis são temporários, porque estas recuperam rapidamente ao contrário das células cancerígenas.

As diferenças biológicas e genéticas entre as células tumorais e as células normais explicam as diferenças que permitem a existência de efeito terapêutico.

De facto, as células tumorais sensíveis à quimioterapia são geralmente menos eficazes a reparar as lesões provocadas pelos citostáticos ao nível do DNA.

Por outro lado, um certo número de medicamentos têm melhor penetração membranária nas células tumorais e, nalguns casos, os mecanismos de resistência que consistem no efluxo de substâncias de dentro para fora da célula, são mais activos nas células normais que nas células neoplásicas.

Outro mecanismo responsável por uma certa especificidade anti-tumoral dos medicamentos tem a ver com a activação bioquímica das substâncias terapêuticas, que pode ser diferente entre células tumorais e células normais.

Por último, pode acontecer que o alvo celular do medicamento seja mais sensível nas células tumorais que nas células normais.

_________________
*** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** ***

..."mas nunca deveremos esquecer que trabalhamos com meios imperfeitos e que onde a técnica não pode alcançar, chegará sempre o amor." (Gregório Marañon)

*** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** *** ***

Madalena

Mensagens : 30
Data de inscrição : 17/06/2009
Localização : Queluz

Ver perfil do usuário http://cancrodamama.do-forum.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum